Quando devo procurar ajuda
 
tem dúvidas? 800 101 004
 
Coloque aqui a sua questão
 
Facebook
 
 
 
Maternidade em idade avançada - boas notícias no British Medical Journal
08.09.2012

As mulheres que devido à infertilidade ou simplesmente às circunstâncias da vida se vêem confrontadas com a decisão de engravidar em idades mais avançadas têm normalmente uma enorme preocupação quer com a saúde das crianças, quer com a forma como conseguirão acompanhar e apoiar o respectivo desenvolvimento. Esta semana o British Medical Journal (uma publicação de referência na área da Medicina) trouxe-lhes uma boa notícia, ao publicar um estudo em que se demonstra que as crianças nascidas de mulheres com idade superior a 40 anos apresentam indicadores de saúde e desenvolvimento superiores aos que se observam em mulheres mais novas.

O estudo original pode ser encontrado em http://www.bmj.com/content/345/bmj.e5116?view=long&pmid=22915663.

Aqui fica um pequeno resumo em português, para os que tiverem mais dificuldade em ler o original:

Crianças nascidas de mulheres mais velhas: melhores índices de saúde e desenvolvimento nos primeiros cinco anos de vida

A forma como a maternidade em idades jovens afecta o desenvolvimento das crianças está bem estudada, mas são poucos os esudos sobre os efeitos da maternidade em idade mais avançada. Este artigo apresenta os resultados de um estudo observacional cujo objectivo foi avaliar a relação entre a idade materna e a saúde e desenvolvimento das crianças nascidas entre 2001 e 2007 no Reino Unido. Eis alguns dados sobre a população em estudo:

  • As crianças participantes tinham idades que variavam entre os 9 meses (n = 31.257), 3 anos (n = 24.781) ou 5 anos (n = 22.504).

  • Em comparação com crianças de mães mais jovens, as nascidas de mulheres mais velhas apresentaram menor risco de lesões não intencionais com necessidade de atendimento médico e internamento. Por exemplo, para crianças de 3 anos, o risco de lesões não intencionais foi de 36,6% (mães com 20 anos) ou de 28,6% (mães de 40 anos) e de internamento, 27,1% (mães com 20 anos) ou 21,6% (mães com 40 anos).

  • Para crianças com 9 meses, as taxas de imunização foram de respectivamente 94,6% e 98,1% para mulheres com 20 ou 40 anos. Para crianças de 3 anos, as taxas de imunização foram mais elevadas (81,3%) nos casos em que as mães tinham 27 anos de idade. Estes valores foram apenas relativos aos casos de vacinação para o sarampo, parotidite/papeira e rubéola, pois para os outros tipos de imunização não se observaram diferenças devidas à idade materna;

  • Comparando as crianças de 3 ou 4 anos filhas de mães com 20 anos com as que eram filhas de mulheres com 40 anos de idade, verificou-se que estas últimas apresentaram melhores níveis de desenvolvimento da linguagem;

  • As crianças filhas de mães de 40 anos de idade apresentaram menos dificuldades sociais e emocionais que as filhas de adolescentes;

  • As associações observadas foram independentes das características físicas e pessoais das mulheres.

 

 

Melhor saúde e desenvolvimento nos primeiros cinco anos de infância

Introdução

A forma como a maternidade em idade jovem afeta o desenvolvimento da criança é bem estudada, mas poucas pesquisas têm se concentrado nos efeitos da maternidade em idade mais avançada, e os achados são conflitantes. Este artigo apresenta um estudo observacional cujo objetivo foi examinar as ligações entre a idade materna e a saúde e o desenvolvimento das crianças em coortes longitudinais (2001–2007) no Reino Unido.

  • As crianças participantes tinham idades de 9 meses (n = 31.257), 3 anos (n = 24.781) ou 5 anos (n = 22.504).
  • Em comparação com crianças de mães mais jovens, as de mães mais velhas apresentaram menor risco de lesões não intencionais com necessidade de atendimento médico e de internação. Por exemplo, para crianças de 3 anos de idade, o risco de lesões não intencionais foi de 36,6% (mães de 20 anos de idade) ou de 28,6% (mães de 40 anos de idade) e de internação, 27,1% (mães de 20 anos de idade) ou 21,6% (mães de 40 anos de idade).
  • Para crianças de 9 meses de idade, as taxas de imunização foram de 94,6% (mães de 20 anos de idade) e 98,1% (mães de 40 anos de idade). Para crianças de 3 anos de idade, as taxas de imunização foram mais altas (81,3%) naquelas cujas mães tinham 27 anos de idade. Não se observou nenhuma ligação com a idade materna quando da exclusão combinada de imunização para sarampo, caxumba e rubéola.
  • Em comparação com crianças de 3 ou 4 anos de idade filhas de mães com 20 anos de idade, aquelas com mães de 40 anos de idade apresentaram melhor desenvolvimento de linguagem.
  • Em comparação com crianças cujas mães eram adolescentes, aqueles com mães de 40 anos de idade apresentaram menos dificuldades sociais e emocionais.
  • As associações observadas foram independentes das características e paridades físicas e pessoais.

Mensagem importante

“A idade materna mais avançada foi associada a melhor saúde e desenvolvimento para crianças com até 5 anos de idade”.

Sutcliffe AG, Barnes J, Belsky J, et al. The health and development of children born to older mothers in the United Kingdom: observational study using longitudinal cohort data. BMJ. 2012;345:e5116 doi: 10.1136/bmj.e5116.

Melhor saúde e desenvolvimento nos primeiros cinco anos de infância

Introdução

A forma como a maternidade em idade jovem afeta o desenvolvimento da criança é bem estudada, mas poucas pesquisas têm se concentrado nos efeitos da maternidade em idade mais avançada, e os achados são conflitantes. Este artigo apresenta um estudo observacional cujo objetivo foi examinar as ligações entre a idade materna e a saúde e o desenvolvimento das crianças em coortes longitudinais (2001–2007) no Reino Unido.

  • As crianças participantes tinham idades de 9 meses (n = 31.257), 3 anos (n = 24.781) ou 5 anos (n = 22.504).
  • Em comparação com crianças de mães mais jovens, as de mães mais velhas apresentaram menor risco de lesões não intencionais com necessidade de atendimento médico e de internação. Por exemplo, para crianças de 3 anos de idade, o risco de lesões não intencionais foi de 36,6% (mães de 20 anos de idade) ou de 28,6% (mães de 40 anos de idade) e de internação, 27,1% (mães de 20 anos de idade) ou 21,6% (mães de 40 anos de idade).
  • Para crianças de 9 meses de idade, as taxas de imunização foram de 94,6% (mães de 20 anos de idade) e 98,1% (mães de 40 anos de idade). Para crianças de 3 anos de idade, as taxas de imunização foram mais altas (81,3%) naquelas cujas mães tinham 27 anos de idade. Não se observou nenhuma ligação com a idade materna quando da exclusão combinada de imunização para sarampo, caxumba e rubéola.
  • Em comparação com crianças de 3 ou 4 anos de idade filhas de mães com 20 anos de idade, aquelas com mães de 40 anos de idade apresentaram melhor desenvolvimento de linguagem.
  • Em comparação com crianças cujas mães eram adolescentes, aqueles com mães de 40 anos de idade apresentaram menos dificuldades sociais e emocionais.
  • As associações observadas foram independentes das características e paridades físicas e pessoais.

Mensagem importante

“A idade materna mais avançada foi associada a melhor saúde e desenvolvimento para crianças com até 5 anos de idade”.

Sutcliffe AG, Barnes J, Belsky J, et al. The health and development of children born to older mothers in the United Kingdom: observational study using longitudinal cohort data. BMJ. 2012;345:e5116 doi: 10.1136/bmj.e5116.

 
Partilhar
2013 © Ferticentro: Centro de Estudos de Fertilidade, SA
  design by Walk